quinta-feira, 24 de março de 2016

JORNADA PELA REVALORIZAÇÃO IV

Passados cerca de quarenta dias de nossa conversa com o secretário Edson Aparecido, nem a AGROESP e nem o Deputado Davi Zaia foram chamados novamente ao seu gabinete, para continuar a tratar do nosso pleito. Na terça feira passada, foi publicada notícia no jornal O Estado de São Paulo, informando que esse Secretário deixará o governo amanhã, fato que já era esperado por todos nós desde a denúncia que ele sofreu, logo após nossa audiência, de ter adquirido apartamento de forma irregular, e que consideramos ser essa uma da razões de não haver acontecido nada de novo, no que se refere a nosso pedido. Assim, com o nosso processo em andamento, só nos resta aguardar para saber quem será o novo Secretário Chefe da Casa Civil.

A crise por que passa a nação é um fato que não pode ser negado, e a queda brutal na arrecadação de impostos afeta a saúde financeira de todas as esferas governamentais. A já noticiada renegociação das dívidas dos estados e a autorização para maior endividamento dos mesmos, em andamento na esfera federal, passa por sérias restrições a serem impostas aos governos estaduais, no que concerne a reajuste de salários dos servidores.

De todo modo, a AGROESP não está acomodada frente a essas questões e continua a fazer gestões junto ao gabinete do Secretário, onde conversamos com o Secretário Adjunto, Dr. Rubens Rizek na semana passada e na última terça feira e, também, junto à ALESP, onde temos mantido contato telefônico com o gabinete do deputado Davi Zaia, além de estarmos ali presentes na semana passada e no dia de ontem, com a finalidade de manter acesa a chama das negociações. Em todas as conversas, deixamos claro que nossa categoria está com os salários de 2013 e que não recebeu nenhuma correção desde aquele ano, sequer a reposição da inflação no período. Também reforçamos aos interlocutores que os assistentes agropecuários estão sendo conclamados a cumprir as novas atribuições, referentes ao Programa de Regularização Ambiental (PRA), elaborando as propostas de oitenta por cento das propriedades rurais do nosso estado.

Sabemos das dificuldades e do momento por que passamos, mas queremos um compromisso do governo, agendando um cronograma de atendimento ao nosso pleito de equalização com a carreira de especialista e de reposição das perdas salariais, decorrentes da inflação em alarmante elevação. Paralelamente, também pleiteamos a realização de concursos em todos os níveis das nossas coordenadorias, para que possamos cumprir com as metas impostas pelo governo, sem que haja sobrecarga de trabalho aos poucos servidores existentes.

VAMOS À LUTA!

ASSOCIAÇÃO DOS ASSISTENTES AGROPECUÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO
(AGROESP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário