sexta-feira, 22 de março de 2019

COMUNICADO AGROESP 02/2019

Na última segunda feira, fomos convidados pelo Secretário, Dr. Gustavo Junqueira, para um café da manhã no gabinete da CATI, em Campinas. Além do “staff” do secretário também estavam presentes outros colegas assistentes agropecuários da CATI.

Houve ali uma reunião entre nós, facultada a palavra a todos os presentes e, a unanimidade dos assistentes agropecuários protestou com relação à mudança do nome/marca CATI. A nosso ver os protestos foram infrutíferos, pois o secretário manifestou-se irredutível nesse ponto.

A nossa colega Vera Palla fez um relato preciso da reunião, que colocamos aqui aos interessados.
Decreto que altera a denominação da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral - CATI (AQUI)
Nessa semana estivemos na ALESP em busca de apoios para reverter esse quadro da mudança de denominação da CATI, além de manter a mobilização quanto a mudanças estruturais nos órgãos da SAA. Houve grande receptividade e acreditamos que haverão providências por parte dos deputados que contatamos.
Nossa diretoria está desenhando uma nova reunião da AGROESP, aos moldes da havida em Botucatu, focando principalmente nos seguintes pontos:

- Manutenção da identidade visual e proposta de trabalho para a CATI;
- Equalização salarial com os especialistas ambientais que virão para a SAA/SP e farão o mesmo serviço que nossa categoria;
- Chamada de remanescentes do concurso: técnicos e pessoal de apoio para a CATI e CDA;
- Participação nas alterações estruturais a serem realizadas na SAA.

O local e a data da reunião mencionada ainda estão sendo definidos, mas podemos antecipar que será num sábado, para evitar qualquer complicação para os associados da ativa.

Campinas, 22 de março de 2019

Eng.º Agr.º Victor Branco de Araujo
AGROESP – Presidente

14 comentários:

  1. Falaram tudo... menos do reajuste salarial da inflação acumulada nos últimos 5 anos. Tudo isso não vai dar em nada. Vão mudar o nome Cati e vamos continuar sem nenhum reajuste. Nunca ouviram nossas preces, não temos mais nenhum guru defendendo a categoria na assembleia e o Secretário já mostrou quem manda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão de reajustes salariais já era sabida de todos quando o novo governador foi eleito. Sempre afirmei que iremos lutar para não perder o que temos e, pelo que já vimos, será uma luta árdua.

      Excluir
    2. Plantou desunião colhe extinção...

      Excluir
  2. A luta não pode ser só por salários mas também pela carrreira e pela CATI. Agora espero que todos Assistentes acordem pois senão a classe vai ser extinta.

    ResponderExcluir
  3. É certo que todos sabem da defasagem salarial. Mas não custava nada ter falado claramente ao Secretário, até mesmo para ouvir a resposta dele para poder cobrar depois... Ficou parecendo que o maior problema da categoria é a mudança do nome. Toda mudança sempre desagrada o que já estava estabelecido.Já pensaram que a renovação poderá ser muito benéfica para também ser discutido novos acordos salariais?

    ResponderExcluir
  4. Pois é, o nome CATI tem história e sua importância, mas nossos vencimentos devem vir na frente, são 8 anos so com promessas, se vamos assumir o trabalho do meio ambiente que nos paguem para tal

    ResponderExcluir
  5. Essa página, bem como as chefias da falecida CATI, são uma piada. Nos grupinhos do ZAP ZAP de diretores, rugem como leões. Mas na frente do Sec Boy, bancam os gatinhos para não perder a boquinha do prato de leite...Ridículos.

    ResponderExcluir
  6. Desunião dá nisto aí. Fim da CATI e fim da Agroesp. Agora é babar o ovo do novo secretário que não respeita os mais velhos.

    ResponderExcluir
  7. Ninguém é acionista ou proprietário da Cati. O nome tanto faz. Somos apenas servidores públicos que precisam ter seus salários valorizados. Quando é que a Agroesp vai acordar e acertar o alvo???

    ResponderExcluir
  8. A luta durante todos esses anos nunca foi pra pedir que nosso direto revisão salarial (dissídio) fosse respeitado. Pedir equiparação salarial é pedir pra pra receber um não! Generosidade com o dinheiro público. Isso é representar os assistentes entrando no jogo a favor do governo!

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. É lamentável que essa sórdida política não muda. Só pensam no ego desses políticos colocados à revelía no mais alto cargo da SAA. O nome CATI não pode mudar. Isto aqui não é um "brexit" que nada resolve.
    Por 50 anos a CATI andou bem dentro dos parcos recursos que tem. Demos nosso sangue, nossa vida por essa maravilhosa Organização Agrícola denominada CATI. Vamos lutar até as últimas consequências para manter o que é de todos os agricultores do Estado de São Paulo.

    ResponderExcluir
  11. Continuem mesmo a só se preocupar com a classe técnica. Tenho vergonha de saber que existem entre nós, pessoas que ganham em um mês, o que muitos demoram mais de um ano para receber. Somos todos culpados pela descaracterização da CATI, não sejam hipócritas. Desprezamos os companheiros da classe administrativa, para bancar nossas viagens para a Europa e postagens do Facebook. A conta está começando a vir, e atingirá à todos sem exceção.

    ResponderExcluir